sábado, 17 de novembro de 2007

NOVA ALIANÇA

Em Jr 31.31-34 , Deus anuncia que chegarão dias quando fará uma nova aliança com os seus, os termos dessa Nova Aliança, são:



1- Porei minha lei no íntimo deles e a escreverei nos seus corações. Serei o Deus deles e eles serão meu povo.


2- Ninguém mais ensinará a seu próximo nem a seu irmão, dizendo: 'Conheça o Senhor', porque todos eles me conhecerão desde o menor até o maior.


3- Lhes perdoarei a maldade e não me lembrarei mais dos seus pecados.


cerca de 600 anos depois, os dias que haviam de chegar enfim chegam, e Jesus faz a célebre declaração às vésperas da cruz:
"Este cálice é a nova aliança no meu sangue, derramado em favor de vocês" Lc 22.20.


A Nova aliança que temos com Deus por meio do sacrifício de Jesus, nos coloca como beneficiários dos termos descritos em Jeremias 31, quando penso na Ceia do Senhor, e no Seu Sacrifício, lembro que tenho motivos de celebrar sempre em memória dEle, só por causa Dele:

é que a Sua Lei está escrita em meu coração... é que sou marcada profundamente por sua verdade, de tal forma que quando faço algo errado que ninguém vê ou sabe... naquele lugar escondido... aquilo que ninguém poderia imaginar que faço... aquele pensamento ... aquele sentimento caído secreto do qual ninguém jamais vai me cobrar ou acusar... Nesse momento é a Sua Verdade, Sua Lei, Sua palavra, que suavemente me alerta, me cobra e isso sem precisar que alguém o faça... Ela está lá gravada no meu coração, não está nas páginas de um livro que eu posso fechar, ou virar a página ou esquecer, ela está em mim, e silenciosamente mas com muito poder é essa inscrição em meu coração que me alerta do errado, que me mostra que transgredi, que me aponta o caminho de volta, isso só é possível porque Sua Lei está escrita em mim, e do meu coração ela clama , exige retidão... não é pelo muito ler, pelo muito saber, nem pela idéia que as pessoas fazem de mim que constatemente ouço esse alerta à santidade , é a sua Lei escrita e indelével que me chama de volta...

Por Ele também posso conhecer a Deus, sem intermediários, é por essa Nova Aliança que Deus se tornou disponível, acessível,tão presente e desejável que até no fato de sentir sua ausência é uma maneira de perceber sua presença... ninguém me disse 'conheça a Deus', Ele mesmo se apresentou e se tornou tão necessário,tão vital...

NEle tenho o perdão dos meus pecados, das minhas transgressões, no original de Efésios 2.1, a diferença entre os dois é que o pecado é aquilo que não quero fazer, é minha rebelião consciente contra Deus, já as transgressões ( delitos), é literalmente 'cair para fora', trás a idéia de alguém que andava em um caminho e caiu ao lado, saiu da estrada, tropeçou, as minhas trasngressões representam aquilo que não posso fazer por incapacidade, por isso na Nova Aliança tenho o perdão por aquilo que não quis fazer e por aquilo que não posso fazer, nisso vejo sua Graça... não há uma só vez que me
apresento a Ele sem que haja uma culpa , eu estou sempre dependendo do seu perdão, e por saber disso, tudo o que faço de bom ou tudo de bom que eu sou, todo o bem que há em mim tenho plena consciência de que não foi porque fiz por merecer, não é uma troca, algo que ele me dá porque eu sou boa o bastante, não!... é só porque Ele me perdoou e não se lembra mais do que fiz, Ele não lembra...mas eu lembro, e por lembrar que não mereço é que sei que todo mérito é dEle, e que me sinto constrangida a retribuir-lhe com todo o esforço para não errar mais (embora saiba que vou errar).


Jesus disse sobre a Ceia 'fazei isso em memória de mim',Ele deseja que sempre nos lembremos, não só na Ceia na igreja, mas sempre... todos os dias, todos os momentos em que percebermos a dinâmica da Sua Lei em nosso coração, a sua proximidade, o seu perdão, que sempre nos lembremos e celebremos por essa NOVA ALIANÇA .