domingo, 13 de abril de 2008

O avesso da História



Que terrível cavaleiro
De armadura reluzente
Como um raio vai ligeiro
Pra matar gente inocente
O punhal brilha amolado
Zelo cego e equivocado
Semeando atrocidades
Rege em sangue as cidades

Mas na estrada de Damasco
Cai vertiginosamente
Abatido o carrasco
Feito uma estrela cadente
Frente a frente com a glória
Do Jesus que perseguia
Olha o avesso da história
A mais santa ironia

Mudou, mudou
Ele agora é perseguido
E sabe o que é a dor
Mudou, vive, morre, prega e chora
Pelo seu Senhor
Mudou, traz no corpo as marcas
Que por Cristo conquistou
Mudou, rosto que antes aguerrido
Enfim suavizou

Mudou, mudou , anda comovido
Constrangido pelo amor
Mudou, quando torturado
Canta um hino de louvor
Mudou, quer que o mundo inteiro
Saiba quem o transformou
Mudou, porque muda mesmo aquele
A quem o amor mudou
Stênio Marcius