sábado, 30 de junho de 2007



Deus tira o bem do mal
O que a vida de José do Egito pode nos ensinar

Diante da realidade de nossas relações sempre tivemos ou temos pessoas ou poderes que decidem sobre nós, na infância temos os pais, os professores, ou os adultos de um modo geral, já na vida adulta temos o chefe, se somos mulheres temos o marido, na igreja temos o pastor, o líder, enfim, sempre em qualquer fase que vivamos existe alguém que não nós que decide coisas ao nosso respeito, que nos limitam ou autorizam. Mesmo quando achamos que já crescemos e ninguém mais irá decidir por nós temos outros poderes como o dinheiro, o sistema, a nossa cultura, o lugar de onde viemos, a nossa aparência, alguma doença, ou situação que tira de nossas mãos o controle e decide por nós , nos levando a caminhos muita vezes injustos, caminhos que nós não escolhemos, que não queremos. A conclusão a qual chegamos é que estamos nas mãos dessas pessoas ou poderes, e que como diz a música é melhor “ deixar a vida me levar”, poderia parar por aqui e essa seria toda a realidade ... mas a história de José do Egito não me permite chegar a essa conclusão simplista e pessimista da vida, ninguém melhor que ele viveu essa realidade e provou exatamente o contrário.

Durante um bom período da vida de José , pelo ao menos dos 17 aos 30 anos ele viveu situações em que outras pessoas decidiam por ele,uma verdadeira lista de pessoas más, injustas, desonestas, que tomavam decisões e pareciam determinarem o destino de José, nunca vemos o relato de que “ ... então José decidiu isso..” ou “ e José escolheu aquilo...” primeiro seus invejosos irmãos, que pensaram até mesmo em matá-lo, mas acabaram decidindo vendê-lo a uma caravana ismaelita ( Gn 37.27), depois sua vida e destino parecia estar nas mãos da caravana ismaelita que o comprara e podia tê-lo vendido a qualquer lugar, mas acabaram vendendo-o para o Egito como servo de Potifar oficial do Egito e capitão da guarda ( Gn37.28,36), depois , quando finalmente os ventos pareciam ser favoráveis, uma mulher lasciva, a esposa de Potifar é quem vai “decidir” sobre o destino de José, e num ato completamente injusto o manda para a prisão ( Gn 39.19,20) , após esse episódio , quando José parece estar novamente se estabelecendo, e tem uma esperança de sair da prisão após interpretar o sonho do copeiro do rei, esse esquece de José, que continua preso injustamente por mais dois anos, até que finalmente tem a oportunidade de interpretar o sonho do rei do Egito e sua vida começa a mudar, o restante da história , todos nós sabemos. Mas o que nos chama a atenção é que nesse período de 4 capítulos , que nós lemos numa só sentada em menos de meia hora, passaram-se aproximadamente 13 anos para José, e com certeza viver essas realidades injustas não foi tão simples como quando a lemos, durante esse período da juventude de José, seus irmãos, seus donos, uma mulher despeitada e um copeiro esquecido pareciam serem os responsáveis pelas injustiças, pareciam serem eles quem decidiam sobre seu destino ... a vida de José parecia estar sendo decidida pelo acaso e administrada por uma série de pessoas sem caráter, todos exerceram autoridade sobre José e os caprichos injustos da vida lhe causaram conseqüências gravíssimas ... essa é a história contada friamente , esses são os fatos visíveis , porém , a mesma história pode ser vista de outra forma , se por um lado ao fim de sua vida José tinha todo o direito de se tornar alguém amargo , a maneira como interpretou os acontecimentos fez toda a diferença ... após o fim da trama , quando reencontra seus irmãos José faz a seguinte declaração “Vocês planejaram o mal contra mim, mas Deus o tornou em bem, para que hoje fosse preservada a vida de muitos ...” ( Gn 50.20) para ele o mal que seus irmãos intentaram e fizeram foi revertido, em outras palavras, aos olhos de José, embora parecesse, na verdade a sua vida nunca esteve nas mãos da inveja de seus irmãos,ou na injustiça da escravidão ,ou no despeito da mulher lasciva ou em momento algum dependeu da memória de um copeiro , embora esses agentes planejaram e conseguiram fazer o mal para José, o Grande Senhor , Javé, transformou em bem, e esse Senhor é tão terrivelmente Soberano que até mesmo o mal se dobrou e acabou servindo seus propósitos.

Não posso garantir que José teve essa certeza todos os dias durante os treze anos de sua agonia,embora, no texto bíblico o narrador e escritor de Gênesis faz constantemente a afirmação de que o Senhor estava com José, mas penso que vez ou outra algum vislumbre de esperança e sentido deve ter presenteado José, do contrário ele teria enlouquecido, a visão completa e nítida da beleza do caminho que José trilhou é dessas que só podem ser percebidas no final, quando se olha pra trás, depois de ter percorrido todo o caminho.O sucesso de histórias como essas não dá pra provar por meio dos fatos e dizer “ - é óbvio que vai dar certo!”, não vem carregado de certeza invariável, na verdade é sustentado por vislumbres, por impressões, é do tipo que quando alguém te pergunta “- porque você está aqui?” ou “ – onde vai dar esse caminho?” , a única resposta sincera é “ – não sei , mas sinto que vai ser muito bom!”, é uma espécie de espera audaciosa que teima em existir mesmo quando se vê desafiada pelo mau caráter de pessoas ruins, pela falta de sorte ( se sorte existisse!), pela injustiça generalizada, ou qualquer outra coisa.

Reconheço que não poucas vezes me sinto nas mãos de pessoas más que parecem decidir meu destino, patrões autoritários, políticos desonestos, um sistema social injusto, pessoas de má fé, ou ás vezes o simples acaso ,que parecem me levar por caminhos que eu não escolho ou não mereço, ... mas ainda bem que tenho a história de José que pra mim tem sido um vislumbre de que é perfeitamente possível que essas pessoas ou poderes sejam agentes do mau e até me prejudiquem por um tempo, mas é impossível que no fim das contas todos eles não se dobrem e sujeitem ao Deus Soberano que tira “o bom e justo” até mesmo do mal, por enquanto continuo aqui sendo afetada por essas realidades e por isso enxergando e compreendendo pouco do que acontece , mas chegará o dia em que vou olhar pra trás e ver como era bonito o caminho que trilhava.


Que Deus nos ajude!

Rosilene Gomes Ribeiro

2 comentários:

CLAY disse...

Legal seu texto e a posição do Zé, mas o contexto é incomparável. A sua Passividade não se encaixa nos nossos dias.
É lógico que em muitas horas temos que seguir este exemplo, mais pela nossa educação e ética.
Mas vivendo com Cristo no Brasil temos uma liberdade extrema.

gosto desta musica do Gabriel.
Temos que ir a luta, protestar e por a pólis para funcionar.
E pelo contrário, ser cristão nos leva ao questionamento e ao confronto.
O sl 127 diz q Deus faz a parte Dele, mas nós temos fazer a nossa.

musica: até qdo?
Não adianta olhar pro céu com muita fé e pouca luta
Levanta aí que você tem muito protesto pra fazer e muita greve
Você pode e você deve, pode crer

Não adianta olhar pro chão, virar a cara pra não ver
Se liga aí que te botaram numa cruz e só porque Jesus sofreu
Num quer dizer que você tenha que sofrer

Até quando você vai ficar usando rédea
Rindo da própria tragédia?
Até quando você vai ficar usando rédea
Pobre, rico ou classe média?
Até quando você vai levar cascudo mudo?
Muda, muda essa postura
Até quando você vai ficando mudo?
Muda que o medo é um modo de fazer censura

(Refrão)
Até quando você vai levando porrada, porrada?
Até quando vai ficar sem fazer nada?
Até quando você vai levando porrada, porrada?
Até quando vai ser saco de pancada?

(Repete refrão)

Você tenta ser feliz, não vê que é deprimente
Seu filho sem escola, seu velho tá sem dente
Você tenta ser contente, não vê que é revoltante
Você tá sem emprego e sua filha tá gestante
Você se faz de surdo, não vê que é absurdo
Você que é inocente foi preso em flagrante
É tudo flagrante
É tudo flagrante

(Refrão x2)

A polícia matou o estudante
Falou que era bandido, chamou de traficante
A justiça prendeu o pé-rapado
Soltou o deputado e absolveu os PM's de Vigário

(Refrão x2)

A polícia só existe pra manter você na lei
Lei do silêncio, lei do mais fraco:
Ou aceita ser um saco de pancada ou vai pro saco

A programação existe pra manter você na frente
Na frente da TV, que é pra te entreter
Que pra você não ver que programado é você

Acordo num tenho trabalho, procuro trabalho, quero trabalhar
O cara me pede diploma, num tenho diploma, num pude estudar
E querem q'eu seja educado, q'eu ande arrumado q'eu saiba falar
Aquilo que o mundo me pede não é o que o mundo me dá

Consigo emprego, começo o emprego, me mato de tanto ralar
Acordo bem cedo, não tenho sossego nem tempo pra raciocinar
Não peço arrego mas na hora que chego só fico no mesmo lugar
Brinquedo que o filho me pede num tenho dinheiro pra dar

Escola, esmola
Favela, cadeia
Sem terra, enterra
Sem renda, se renda. Não, não

(Refrão x2)

Muda, que quando a gente muda o mundo muda com a gente
A gente muda o mundo na mudança da mente
E quando a mente muda a gente anda pra frente
E quando a gente manda ninguém manda na gente

Na mudança de atitude não há mal que não se mude nem doença sem cura
Na mudança de postura a gente fica mais seguro
Na mudança do presente a gente molda o futuro

bjs
parabéns!

freefun0616 disse...

酒店經紀人,
菲梵酒店經紀,
酒店經紀,
禮服酒店上班,
酒店小姐兼職,
便服酒店經紀,
酒店打工經紀,
制服酒店工作,
專業酒店經紀,
合法酒店經紀,
酒店暑假打工,
酒店寒假打工,
酒店經紀人,
菲梵酒店經紀,
酒店經紀,
禮服酒店上班,
酒店經紀人,
菲梵酒店經紀,
酒店經紀,
禮服酒店上班,
酒店小姐兼職,
便服酒店工作,
酒店打工經紀,
制服酒店經紀,
專業酒店經紀,
合法酒店經紀,
酒店暑假打工,
酒店寒假打工,
酒店經紀人,
菲梵酒店經紀,
酒店經紀,
禮服酒店上班,
酒店小姐兼職,
便服酒店工作,
酒店打工經紀,
制服酒店經紀,
酒店經紀,

,